» » » Cobra rateira

Cobra rateira

A cobra rateira faz parte da lista de espécimes comuns na Europa e bastante admirada por sua beleza singular. Seus olhos negros vibrantes sempre abertos brilham bastante durante a noite, quando é vista por seus hábitos noturnos. Costuma se recostar em pedras, por isso pode passar desapercebida pelo humanos. Mas sem riscos: se não estiver em perigo ou sendo ameaçada, ela não irá atacar.

Com a pele cinza e escamas em variantes marrons ou verde musgo, a cobra rateira é do tipo peçonhenta, mas seu veneno atinge apenas os animais a ponto de matar, suas presas preferidas. A toxina é fraca, sendo capaz apenas de matar animais de pequeno porte. Não é capaz de imobilizar um adulto saudável. Os sintomas de sua mordida são dores nas pernas, uma vermelhidão na região. Contudo, é importante um tratamento médico para acompanhamento e assim tratamento adequado caso haja uma piora no quadro.


Cobra rateira

Cobra rateira

Habitat da cobra rateira

A cobra rateira pode ser encontrada na Península Ibérica, por todo o Sul da Europa, na Ásia Ocidental e ainda no Norte de África. É cobra de regiões verdes, em matas fechadas e bem longe das residências. Ela pode migrar sim para casas, mas apenas se houver algum problema de falta de alimentação ou uma corrida contra um predador. Os casos de ataques a humanos em casa são bem raros.

cobra rateira

A cobra rateira

Alimentação da cobra rateira

Esta cobra tem hábitos compartilhados com as demais colegas de espécimes. Costuma comer ratos, pequenos roedores da mata e aves. Caso tenha a possibilidade, também deve se alimentar de animais maiores, como lagartos. Mas não costuma atacar mamíferos porque não é uma cobra muito grande, alcançando apenas 2 metros de comprimento na idade adulta. Com seu comprimento, esta é considerada a maior cobra encontrada em Portugal.

Atualizado em: 15/08/2018 na categoria: Espécies, Peçonhentas