» » » » » Jararaca Ilhoa – Cobra Rara e Venenosa!

Jararaca Ilhoa – Cobra Rara e Venenosa!

A Jararaca-ilhoa (Bothrops insularis) é uma serpente brasileira rara, encontrada apenas no Estado de São Paulo, na Ilha da Queimada Grande ou “Ilha das Cobras”. A cobra Jararaca-ilhoa é uma víbora venenosa sem concorrentes ou predadores na ilha.

Quando a Ilha da Queimada Grande se separou do continente, as jararacas que se encontravam no locam precisaram se adaptar devido às pressões ambientais, já que ficaram isoladas. Isso, provavelmente, originou as jararacas-ilhoas por especiação alopátrica (geográfica).


Jararaca Ilhoa

Jararaca-ilhoa

É por isso que o seu veneno e o seu comportamento (hábitos arborícolas e diurnos, podendo caçar também sobre a vegetação e estarem ativas à noite) foram adaptados para predar aves, porque na ilha não existem roedores, o alimento comum das jararacas do continente.

A jararaca-ilhoa tem comprimento médio de 70 cm, com máximo de 91,2 cm para os machos e 1,09 para fêmeas (tamanhos registrados em 2010). Na Ilha da Queimada Grande há cerca de 1.500 a 2.000 serpentes (catalogadas em 2008) vivendo na área da Mata Atlântica e em áreas cobertas por capim.

Algumas características causadas pela sua adaptação é a cauda preênsil, que se agarra nas coisas, o coração mais perto da cabeça e os dentes mais curvados para trás do que o normal para prender o alimento na boca enquanto ele morre com o veneno.

As serpentes adultas desta espécie alimentam-se de aves migratórias e ovos de aves, já que os pássaros que vivem na ilha, principalmente os atobás-pardos, “aprenderam” a se safar de seu ataque. Já as serpentes mais jovens podem caçar centopeias, anfíbios e lagartos. Esses animais podem ficar até seis meses sem se alimentar. 


Tratam-se de animais vivíparos, ou seja, os filhotes são gerados no útero, não há ovos. A ninhada apresenta, geralmente, 10 filhotes que nascem no verão.

Veneno da Jararaca-ilhoa

Jararaca Ilhoa


O veneno da Jararaca-ilhoa é especializado em matar aves e sua ação é inibidora. Elas possuem dentição solenóglifa (dentes retráteis na parte da frente do maxilar superior). O soro utilizado em humanos que, por ventura, recebam uma picada dessa espécie, deve ser o antibotrópico ou um soro específico, embora acidentes com ela sejam raros, já que a Ilha da Queimada Grande só pode ser visitada por analistas ambientais.

Uma curiosidade sobre as jararacas-ilhoas é que as fêmeas possuem um órgão semelhante ao hemipênis, mas menor e sem testículos, sem funcionalidade verificada. O Captopril, remédio para hipertensão arterial, é feito a partir do veneno das jararacas.

Atualizado em: 21/01/2019 na categoria: Amarela, Brasileiras, Espécies, Peçonhentas



Quer receber novos artigos?